Poemas kálidos:

A Lenda do Beijo
A Mulher que Namorou o Tempo
Aldeia Global
Evolução
Lábios Trêmulos
Poema do Ciúme
Poesia Concreta
Poema do Blogueiro
Cachorra
 

       
Contos kálidos:


A Repulsa
Duetos
Os Olhos do Velho
Tempestade de Neve



Águas passadas 

2002

jan fev mar abr
mai jun jul

ago

set

out

nov

dez

2003

janfev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2004

jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2005

jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2006

jan fev mar abr
mai jun jul ago

set

out

nov

dez

2007

jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2008

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2009

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2010

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2011

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2012

fev

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

 



Blogs:

 
(Selo que concedo
aos blogs que admiro)

Recebi:

Visitantes:

Powered by Blogger

 

 

sexta-feira, 10 de janeiro de 2003

Cartuns, cartuns, cartuns (e poesia?)

Mais humor e criatividade desse pessoal bom da bola. Hoje não tem poesia? E quem disse que cartum não tem poesia? Mas o quê, afinal, é poesia? Vou deixar o Majart dizer para vocês. Olha a preciosidade que ele deixou aqui, ontem, nos comments. Achei o máximo. Não seria a mais completa tradução do que é a poesia? Você decide. Se achar que sim, que realmente é uma descrição perfeita do que seja poesia, ligue para... :) Olha só:

Fechava os olhos e enxergava
os abria, nada via
escutava sons no silêncio
no barulho nada ouvia.
Deitava e seu corpo erguia
sonhava, mas não dormia
pensava e não existia
esquecia o que lembrara
mas lembrava que esquecia.
Matava e tudo nascia
no nascimento morria
e sua alma cansada
contrariada todavia
ganhou de presente um nome
e chamou-se de poesia.

(Majarti)

Ah, os cartuns. Calma. Tá na mão:



(desconhecido)



(desconhecido)



T. Kajan (Hungria)



K. Baraniecki (Polônia)



D. Maistrenko (Russia)



Stark (USA)


C. Addams (USA)


A. Born (Alemanha)

Kali.
Gostou, assine.



 

 

Não falo de mim,
mas do mundo,
bem mais importante
e interessante.
Quiçá, mais bonito :Þ

Creative Commons License

Blog Kálido, escrito por kali, é licenciado sob as seguintes condições:
Creative Commons:
Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas
2.5 Brasil License
.

 



Clique
nos cartões abaixo
para ver os diálogos.

imagens:
Kim Anderson
textos: kali