Poemas kálidos:

A Lenda do Beijo
A Mulher que Namorou o Tempo
Aldeia Global
Evolução
Lábios Trêmulos
Poema do Ciúme
Poesia Concreta
Poema do Blogueiro
Cachorra
 

       
Contos kálidos:


A Repulsa
Duetos
Os Olhos do Velho
Tempestade de Neve



Águas passadas 

2002

jan fev mar abr
mai jun jul

ago

set

out

nov

dez

2003

janfev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2004

jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2005

jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2006

jan fev mar abr
mai jun jul ago

set

out

nov

dez

2007

jan fev mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2008

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2009

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2010

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2011

jan

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

2012

fev

fev

mar abr
mai jun jul ago
set out nov dez

 



Blogs:

 
(Selo que concedo
aos blogs que admiro)

Recebi:

Visitantes:

Powered by Blogger

 

 

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Fico feliz de voltar aqui. Foram tantos anos de sonhos.
Kali.
Gostou, assine.


 

sábado, 4 de agosto de 2018

Me

Estou vivo 😊

Kali.
Gostou, assine.


 

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Kali.
Gostou, assine.


 

Vou tando :)

Kali.
Gostou, assine.


 

terça-feira, 15 de abril de 2014

Ob-la-di-ob-la-da life goes on..

...
Poema que sai de mim
é bem simplizim,
mas até que sai bonitim.
Modéstia à parte,
do começo ao fim.
É ou não é?
É,sim.

Kali.
Gostou, assine.


 

Por mais que tentasse

Kali.
Gostou, assine.


 

sexta-feira, 21 de março de 2014

Com esperanças no meu coração

Kali.
Gostou, assine.


 

Para os apaixonados

Kali.
Gostou, assine.


 

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

♪ ...que coisa mais linda, mais cheia de graça...

Kali.
Gostou, assine.


 

quarta-feira, 27 de março de 2013

Às vezes, um post.

Às mulheres decididas, porém sentimentais, mas persistentes. Ou seja, a todas. :)

Kali.
Gostou, assine.


 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Dos olhos teus


Kali.
Gostou, assine.


 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012




Tem a idade da beleza, mas também tem a beleza da idade.
Kali.
Gostou, assine.


 

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Foi ontem, mas tá valendo.

Fiz essa espécie de antipoema anteontem, para o dia das mães. Espero que gostem, leitores filhos da mãe :)



Kali.
Gostou, assine.


 

sábado, 28 de abril de 2012

Ousar.


Kali.
Gostou, assine.


 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Olhos grandes.


Kali.
Gostou, assine.


 

quarta-feira, 4 de abril de 2012


O Supremo Tribunal Federal vai julgar em abril se o aborto de feto sem cérebro é crime.

Minha opinião é a seguinte:


Talvez não haja crime mais horrendo
Que deixar nascer humano ser
Sem cérebro, seu órgão extremo,
Um ser não-sendo.
Coisa do demo.

Porém, se o STF
Assim não entender,
É sinal que tão bizarro ser
Pode mesmo nascer, crescer,
E um dia vir a ser
Ministro do Supremo.

Mas, se também um dia,
O homem em sua sabedoria,
Encontrar na genética
A chave da anencefalia,
Como já encontrou as de outras patologias,
Um ato de amor na Terra se desenharia:
Uma mulher dando à luz a
uma vida sem calor,
Sem prazer e sem dor,
Para o homem, em sua própria apologia,
Sem arrogância, e sem pudor,
Corrigir um erro do próprio Criador.
Kali.
Gostou, assine.


 

quarta-feira, 21 de março de 2012

logo tibum!


Se o logotipo do portal da Globo G1 não é uma homenagem aos nadadores brasileiros, o que mais poderia ser?
Kali.
Gostou, assine.


 

segunda-feira, 19 de março de 2012

O TST no SPC.


Teve uma turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que reconheceu o direito de uma empresa consultar o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e a Serasa antes de contratar seus funcionários.

Se numa sociedade capitalista o emprego é única forma séria e honesta de uma pessoa sobreviver e pagar suas dívidas, o que o TST espera com um entendimento desse? Total incompreensão da realidade sócio-econômica do país por parte de quem deveria conhecê-la a fundo, pois lida direta e diariamente com ela.

Mas antes de criticar a inadimplência em conhecimentos sócio-econômicos do TST, é preciso saber porque uma corte máxima chega a uma decisão dessas.

Muito simples. Nas últimas décadas, o Poder Judiciário foi tomado por imensas levas de servidores egressos das classes média e média-alta. Esse pessoal trouxe consigo, arraigados em suas brilhantes cacholas, todo um arsenal de preconceitos teóricos e concepções político-econômicas equivocadas, típicos de promissores empresários e empreendedores que o sistema capitalista fez gorar no ninho antes de arremessá-los à guerra dos concursos públicos e transformá-los nos servidores públicos que eles e suas famílias tanto menosprezaram e odiaram por toda a vida. Um desses falsos conceitos é a visão idealista e abstrata sobre honestidade, moral etc., deslocada da vida real. Para esse pessoal, uma pessoa não paga sua dívida porque é safada e pronto, embora eles próprios possam também estar endividados até o pescoço. A diferença para um trabalhador comum é o ótimo salário que permitem pagá-las. Para quem não sabe, a maior parte das decisões e sentenças de juízes, desembargadores e ministros dos Tribunais Superiores são redigidas por esse povo.

O que se pretende com isso? Afundar de vez a economia? Oferecer ao trabalhador uma justifica moral, jurídica e oficial para ele mergulhar no mundo da deliquência? Oferecer à empresa credora uma certidão de que seu crédito não será quitado? Se isso é justiça, o que seriam covardia, falso moralismo, ignorância econômica e burrice capitalista?

Agora, o TST está inadimplente com o povo trabalhador. Mas quem irá botar o nome da instituição no SPC?
Kali.
Gostou, assine.


 

sábado, 3 de março de 2012

Oi! :Þ


Imagem: Zazzle


- Pô, Kali!
Demorou para postar, hein!

- Oh! Fiz sofrer meu bem-querer?
Pois maior foi meu doer!
Se muito fiquei sem nada a dizer,
Me privei do que mais gosta
Quem gosta de escrever:
O gosto de ser lido
Por quem gosta de me ler.
Kali.
Gostou, assine.


 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Entrevista com o Supremo


Obrigado por conceder uma entrevista a este humilde servo, Senhor!
Não costumo falar com qualquer um. Deve mesmo dar graças a Deus, digo, a Mim, por essa entrevista.

Graças a Vós, Senhor!
Não precisa me tratar por "Vós". Basta Me chamar de Vossa Magnificência que está tudo bem.

Mas esse é o tratamento que é dado aos reitores de universidades.
Santa concorrência! Então Me chame de Vossa Onipotência, pronto! Prossiga.

Vossa Onipotência, como foi a criação do homem? O que Lhe veio à mente no momento de sua criação?
Tem um erro naquele livro que vocês escreveram e dizem que fui Eu, a Bíblia: não foi com barro, não.

O que Vossa Onipotência usou para fazer o homem, Santíssima Potestade?
Você é brasileiro, sabe. O que vocês querem dizer quando falam "vou aí tirar um barro?"

Ah, tá... E o que acha do Futegod, que eu escrevi?
Futegod? Mas que merda é essa?

Um poema. É assim: "Deus fez o mundo em forma de bola. Qualquer dia ele mete o pé!"
Rapaz, não fique dando idéia.

Senhor, Jesus Cristo é mesmo Vosso filho?
Tantos na Terra reivindicaram Minha paternidade que nem me lembro.

O da Galiléia, há uns 2.000 anos atás.
Ah, aquele maluquete? Não combinou nada comigo e depois disse que Eu o abandonei na cruz, vê se pode! Maluco total. Mas o cara é bom, viu! Ele disse muitas coisas que Eu mesmo diria para vocês. Danado, ele! No bom sentido, claro.

O que Vossa Onipotência pode me dizer das religiões?
Aquele teatro que vocês usam para tentar Me enganar e enganar uns aos outros? Olha, vou te dizer, viu! Aquilo é um teatro que vocês usam para tentar me enganar e enganar uns aos outros.

Pai Eterno, apesar de tudo, há um futuro para a humanidade?
Com certeza, Kali.

E Vossa Onisciência pode dizê-lo a mim?
Claro: o quinto dos infernos.

Obrigado pela entrevista, Todo-Poderoso!
Hahahahahahahaha
Kali.
Gostou, assine.



 

 

Não falo de mim,
mas do mundo,
bem mais importante
e interessante.
Quiçá, mais bonito :Þ

Creative Commons License

Blog Kálido, escrito por kali, é licenciado sob as seguintes condições:
Creative Commons:
Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas
2.5 Brasil License
.

 



Clique
nos cartões abaixo
para ver os diálogos.

imagens:
Kim Anderson
textos: kali